Bio.
MIGUEL ZENÓN QUARTET

05 Outubro, 23h30

Miguel Zénon . Saxofones
Luis Perdomo . Piano
Hans Glawischnig . Contrabaixo
Henry Cole . Bateria

O saxofonista alto, compositor, líder da banda, produtor musical e educador Miguel Zenón nasceu em San Juan, Porto Rico no dia 30 de Dezembro de 1976. Aos 10 anos recebeu as suas primeiras lições sobre teoria musical e solfejo de Ernesto Vigoreaux.  Estudou saxofone clássico durante seis anos com Angel Marrero na Escuela Libre de Música.  No 11º grau, começou a ouvir jazz com alguns amigos na escola e ficou muito interessado pelo conceito de improvisação e pela música de Charlie Parker.  Embora sempre tenha demonstrado interesse pelas Ciências Naturais, recusou uma bolsa de estudos de engenharia e decidiu seguir carreira na música.  Depois de obter uma bolsa, Zenón mudou-se para Boston em 1996 para começar os seus estudos na Berklee College of Music, onde conheceu Antonio Sánchez, Anat Cohen, Avishai Cohen, Jaleel Shaw e Jeremy Pelt e foi fortemente influenciado por Bill Pierce, Ed Tomassi e Hal Crook. Foi também nessa época que conheceu o pianista Danilo Pérez, que se tornaria seu mentor e colaborador.  Depois de se formar na Berklee, Zenón estudou na Manhattan School of Music, tendo recebido um mestrado em Performance em 2001, antes de se estabelecer em Nova York.  Como colaborador, trabalhou, entre outros, com o SFJAZZ Collective, Charlie Haden, Fred Hersch, Kenny Werner, Guillermo Klein, David Sánchez, Danilo Pérez, The Vanguard Jazz Orchestra, The Mingus Big Band, Ray Barreto, Jerry González, Jeff Ballard, Miles Okazaki, Dan Weiss, Bobby Hutcherson, Steve Coleman, Antonio Sánchez…

Em 1999, Zenón formou o seu grupo com o baterista mexicano Antonio Sánchez, o baixista austríaco Hans Glawischnig e o pianista venezuelano Luis Perdomo. Com estes e outros músicos gravou até 2018 onze álbuns como leader.

Liderou as categorias de Músico de Jazz do Ano e Saxofonista Alto do Ano na Jazz Times Critics Poll de 2014, foi selecionado como Saxofonista Alto do Ano pela Jazz Journalist Association em 2015 e 2018 e foi eleito o segundo melhor saxofonista alto de 2018 na votação da revista Downbeat.

A biografia de Zenón não estaria completa sem se referir o seu papel como educador.  Em 2003 foi escolhido pelo Kennedy Center para ensinar e actuar na África Ocidental como parte do programa Jazz Ambassador.  Desde então, deu centenas de palestras e master classes e tem ensinado em todo o mundo em variadíssimas instituições.  É membro permanente do corpo docente do New England Conservatory of Music. Mas talvez o que melhor reflete o seu compromisso com a educação e consolida a sua crescente reputação como um “embaixador cultural”, é o programa que ele fundou em 2011, chamado Caravana Cultural, cujo principal objetivo é apresentar concertos de jazz gratuitos em áreas rurais de Porto Rico e fazer um “investimento cultural” na ilha.

Nomeado várias vezes para os Grammys e Guggenheim & MacArthur Fellow, Miguel Zenón representa um selecto grupo de músicos que magistralmente equilibraram e misturaram os polos de inovação e tradição muitas vezes contraditórios.  Amplamente considerado como um dos saxofonistas mais inovadores e influentes de sua geração, desenvolveu também uma voz única como compositor e como conceptualista, concentrando os seus esforços em aperfeiçoar uma boa mistura entre música folclórica latino-americana e jazz.

Fonte: miguelzenon.com; en.wikipedia.org/wiki/Miguel_Zenón